quinta-feira, 11 de março de 2010

Reavivar as tradições rurais: Magusto e Matança do Porco



Logo de manhã, juntaram-se os organizadores do evento e começou-se a aprontar os últimos pormenores para a comemoração do 14.º aniversário da Associação Cultural, Recreativa e Desportiva local – Estevojovem.
Em comemoração do 14.º aniversário da ESTEVOJOVEM, em Santo Estêvão, decorreu no passado sábado dia 14 de Novembro, a matança do porco e o magusto que juntou dezenas de pessoasnum ritual tradicional onde o porco e as castanhas foram o centro das atenções gastronómicas, regados com um bom vinho, complementado com jeropiga e o queijo da região, e claro, a música para animar o bailarico.
Logo de manhã, juntaram-se os organizadores do evento e começou-se a aprontar os últimos pormenores para a comemoração do 14.º aniversário da Associação Cultural, Recreativa e Desportiva local – Estevojovem. O programa englobou: a matança e a desmancha do porco do modo tradicional onde estiveram envolvidos alguns dos maiores peritos locais na matéria, e os tradicionais “petiscos” do dia da matança – rins, fígado, “passarinha” (pâncreas) e as carnes assadas (febras, entremeada, etc), ao que se juntaram mais tarde as morcelas de assar feitas pelas mulheres, a “sopa de mioleira” e para terminar o bolo de aniversário. Para além destes pitéus, ainda houve tempo para o magusto com as castanhas dos Fóios e a jeropiga de Santo Estêvão. Para regar todo o evento bebeu-se o vinho vindo do Peroficós e provou-se ainda o queijo de Rendo. No que toca a animação, para além da mais que evidente alegria colectiva e descontracção em volta de todo o evento, houve durante a noite o bailarico protagonizado pelo organista Virgílio, mais conhecido por “Faleiro”.
No final, e em jeito de balanço da actividade, a avaliação foi positiva, a julgar pela satisfação com que os sócios desta associação (cerca de uma centena) se divertiram e se deliciaram com os manjares servidos. Foi um dia de animação, onde se reavivaram as tradições que marcam a história de Santo Estêvão e das suas gentes e que fica no baú da memória da Estevojovem, para mais tarde recordar.

1 comentário:

João disse...

muito bom...isto sim é revitalizar tradições. Até o enxido foi feito no local, cumprindo com os requesitos tradições de outras épocas...Parabens a todos os que tornaram tudo isto possivel